quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Araguari tem dois radares praticamente juntos

Araguari é mesmo uma cidade surpresa. E nem sempre agradável. Depois de atravessar toda extensão de uma pista cheia de buracos nas avenidas Belchior de Godoi, Mato Grosso e Teodoreto de Carvalho, para se dirigir a Caldas Novas, o condutor de veículo automotor deve se precaver com os radares. É assim mesmo no plural: os radares, um a uma distância de apenas 500 metros do outro.


Trata-se de uma verdadeira ‘armadilha’ montada pelo DER-MG na saída de Araguari em direção a Caldas Novas, Corumbaíba, Piracaíba, etc. Lá foram instalados dois radares bem pertinho um do outro. Depois que você atravessa por baixo do viaduto e passa frente ao acesso do Bairro São Sebastião, logo dá de cara com o primeiro deles, que limita a velocidade em 40km/h. Em seguida, quando o condutor pensa em arrancar mais forte, passa-se um posto de combustível do lado direito de quem sai e perto do motel aparece um novo radar, que limita a velocidade em 60km/h.

A distância entre ambos é de aproximadamente 500 metros e acaba flagrando mesmo aqueles que estão acostumados com a estrada. Agora imagine caro leitor quantas autuações não são registradas em relação aos que passam desavisados, grande parte a passeio, em férias, se dirigindo para Caldas Novas? É uma verdadeira indústria de multas criada pelo governo de Minas, que iniciou seu funcionamento em abril de 2010, segundo consta no site do DER-MG.

E o pior é que nada se justifica dois radares tão próximos naquela região. Não existe travessia depois do posto e nem entrada de bairro na região. Somente lavouras de um lado e de outro. Tudo leva a crer ser apenas um capricho do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem para flagrar e multar veículos.

Nota-se ainda que a sinalização quanto à existência dos radares é péssima, fraca, quase inexistente. O que contribui para induzir o condutor ao erro e ter a placa fotograda. E em alguns dias receber em sua casa a notificação. Sobretudo, o segundo radar, é quase imperceptível. Tanto para quem sai como para quem chega á cidade.

Dessa forma, alertamos principalmente a nossa Câmara de vereadores no sentido de se manter contato com a direção do DER, cobrando maiores explicações sobre a duplicidade de radares em local praticamente ermo; e se for o caso, até solicitando a retirada de um deles, pois não se justifica.

E o pior: não se dão ao luxo de serem tão bonitos como o da foto acima. É apenas um pau, com uma maquina registradora dentro, que não mostra a velocidade de quem está passando. IPVA mais caro do Brasil, licenciamento, buracos nas vias e ainda os radares que mais parecem fantasmas.

Um comentário:

  1. Essa é a nossa cidade...
    Passa no Escrevência...Tem novidades...

    ResponderExcluir